Home » Uncategorized » Cingapura: a “Suíça” dos Tigres Asiáticos

Cingapura: a “Suíça” dos Tigres Asiáticos

Falar de Cingapura é muito fácil. É uma cidade-estado bem pequenininha se comparada a similares desenvolvidas. Para se ter uma noção comparativa, é um país menor que a cidade de Campinas e um pouco maior do que a cidade de Salvador. Isso mesmo: um país desse tamanho. Muita gente diz que é fácil administrar um país deste tamanho e esta seria uma das razões para o Brasil estar com os prolemas que temos atualmente. O que falar do Canadá ou da Austrália, então? Não parece uma desculpa plausível… De qualquer forma, o grande boom para Cingapura aconteceu na década de 1960, mais especificamente em 1965, quando ela se separou da Malásia, transformando-se em uma cidade-estado.

Lá está um dos portos mais movimentados do mundo (e mais bem estruturados), o aeroporto é excelente, sendo ligado a todos os pontos (sim, todos os pontos) da cidade via metrô (e que metrô!!) e a estrutura geral da cidade é, para não dizer perfeita, excelente! Uma das razões para que viajemos tanto é por causa da distrofia muscular que o Michael possui, a qual restringe os movimentos de maneira gradativa e sem possibilidade de retorno. Em Cingapura, foi o primeiro local do mundo em que não foi necessário subir nem um degrauzinho sequer. Sério!! Em todos os ambientes, há ou escadas rolantes ou elevadores ou ambos. E tudo funciona na cidade. De verdade!

Os índices de corrupção estão entre os menores do mundo, a parte penal é bastante rigorosa, punindo com pena de morte o crime de tráfico de drogas, por exemplo. Crimes como estupro ou roubo são punidos com varadas até os dias de hoje. Os políticos devem se cagar de medo de desviar uma verbinha que seja.

Na educação, houve investimentos maciços e a meritocracia se apresenta fortíssima nas empresas. A consequência natural disso não precisa nem ser dita, não é verdade? A educação é a base para um povo consciente e isso já faz com que algumas restrições se apresentem de forma mais abrandada.

Mas que restrições são essas? Não se pode, por exemplo, mascar chicletes nas ruas para não se correr o risco de sujar as ruas. No metrô, não se pode comer ou beber nada, também para se manter  perfeito e limpo do jeito que está por mais tempo. As estações do metrô de Cingapura mais parecem corredores de empresas multinacionais de tão limpas e perfeitas que são.

As multas, em geral, são bem pesadas. Se você comer ou beber no metrô, multa de S$500 (US$400); se fumar no metrô, S$1.000 (US$800); se levar substâncias inflamáveis no metrô, S$5.000 (US$4.000). Existe uma fruta naquela parte da Ásia chamada durian e os asiáticos, em geral, adoram! Ela é bem fedorenta, tem cheiro de cebola ou algo parecido com isso, mas é apreciada nas ruas. No entanto, é proibida no metrô e também em locais públicos por causa do cheiro extremamente forte e ruim.

Tudo que é proibido no trem do MRT

Tudo que é proibido no trem do MRT

É comum encontrar comentários na internet que Cingapura só funciona assim, pois há muitas regras e tudo mais. Só que funciona, não funciona? O povo de lá, composto em sua maioria por chineses, indianos, e malaios (além dos cingapurianos, é claro!), é extremamente cordial, educado, inteligente e inovador. Mesmo no metrô, há espaço para brincadeiras por partes dos cingapurianos…

Sorry...

Se você reparar lá atrás, os recadinhos estão idênticos aos que vemos no Brasil

Se você reparar lá atrás, os recadinhos estão idênticos aos que vemos no Brasil

O que é mais bacana desse lugar é que eles se orgulham de todas as pessoas poderem utilizar um transporte público eficiente, limpo, organizado e a um preço muito justo. As tarifas começam com valores inferiores a S$1 (US$0,80). Há opções mais econômicas se você comprar um cartão mensal ou semanal, por exemplo. Outra coisa bacana do MRT, além do site que traz todas as informações sobre a estrutura, expansão, etc., é que você precisa do cartão para entrar na estrutura do metrô e para sair, também é necessário. Isso evita de uma pessoa passar para outras, como o que acontece em Nova York, Rio de Janeiro ou São Paulo.

O governo local está sempre investindo no transporte de massa e a previsão é que até o ano de 2030, mais de 90% de todos os transportes que serão realizados em Cingapura serão realizados por meio da estrutura pública, sendo metrô, ônibus ou táxi. Em 2014, o índice já é de mais de 65%. Não são apenas os pobres. Mesmo os ricos utilizam os meior públicos de transporte. E por que isso acontece lá? É caríssimo obter uma habilitação por lá. Sem saber o valor exato, passa do equivalente a R$10 mil. Para dirigir por lá, tem que ter muita bala!!! Mas, convenhamos, com um metrô neste padrão, quem pensaria em ir para o carro dirigindo??

Como era uma viagem de férias e não uma volta ao mundo, o orçamento era mais folgado e acabamos ficando no Marina Bay Sands. Um hotel fantástico, talvez o melhor que já ficamos. O valor pago pela diária para o casal foi US$333 sem café da manhã incluso, mas com direito a todas as regalias que um hotel 5 estrelas pode proporcionar. Foram 3 diárias lá, suficientes para conhecermos toda a estrutura do hotel-cassino-shopping center-centro de convenções-mais o que se possa imaginar… é isso mesmo, o hotel é fantástico e ainda possui uma piscina de borda infinita. Que fique claro: não somos ricos, apenas não temos filhos, não temos carro caro, não moramos em apartamento cheio de frescuras (o nosso tem 45m2 apenas). Tudo o que ganhamos, gastamos viajando, essa é a razão de ficarmos algumas vezes em hotéis 5 estrelas…

A vista da varanda é, realmente, fantástica

A vista da varanda é, realmente, fantástica

De cair o queixo

De cair o queixo

A vista noturna é linda

A vista noturna é linda

Em Cingapura, a vida não é barata. Se no alto do post está que é a Suíça dos Tigres Asiáticos, entendam este adjetivo tanto pela estrutura quanto pelos preços. Mas se procurar, naturalmente acha locais mais baratos para se comer. Principalmente na Chinatown

de lá. A comida é boa e barata e tem uma variedade de bugigangas para serem compradas que não está no gibi.

Parece até um marmitex

Parece até um marmitex

mas é gostoso

mas é gostoso

Assim que você termina de fazer o seu pedido no caixa e faz o pagamento, vai se dirigindo lentamente para a sua mesa e o camarada do local já te segue com o que você pediu. Lá é assim, eficiência a toda prova e a meritocracia sendo a rainha maior.

A Chinatown destoa um pouco do padrão de limpeza cingapurenho, mas ainda sim é muito limpa se compararmos com outras mundo afora. Muito colorida, cheia de atrações e com um pessoal extremamente cordial, definitivamente vale a visita.

Logo na saída do metrô

Logo na saída do metrô

Era quase ano novo chinês, embora fosse janeiro

Era quase ano novo chinês, embora fosse janeiro

Tem de tudo na Chinatown de Cingapura

Tem de tudo na Chinatown de Cingapura

Limpeza

Limpeza

Cores

Cores

Outra atração que vale a pena ser visitada em Cingapura é o River Safari. Lá, deve-se perder, no mínimo, uma manhã ou uma tarde. A entrada para adultos custa S$25 (uns US$20) e os passeios pelos rios lá custam S$5 cada (uns US$4). Para se chegar lá, da cidade, deve-se pegar o MRT na linha vermelha (North-South) até a estação Choa Chu Kang (NS4) e pegar o ônibus 927. Pronto, você chega lá.

Basicamente, a jornada vai por 8 rios do mundo

Basicamente, a jornada vai por 8 rios do mundo

A visita é guiada, mas se você quiser ir sem o guia, também dá. Basta ler as informações que cada setorzinho disponibiliza e seguir de acordo com o seu tempo e com as suas prioridades. Nós optamos por deixar a guia para lá… Basta ler as placas e parar no que achar mais interessante, seguindo no que achar menos interessante.

Olha a cara da japinha olhando os peixes...

Olha a cara da japinha olhando os peixes…

O passeio começa pelo rio mais fundo do mundo: o Congo, que fica na África.

Tem peixe de tudo que é tipo

Tem peixe de tudo que é tipo

Tem o Rio Nilo, que é o rio mais longo de todo o planeta. Tudo muito bem explicadinho…

Rio Nilo, o mais longo do planeta

Rio Nilo, o mais longo do planeta

Nem dá pra dizer que não sabe onde fica, né??

Nem dá pra dizer que não sabe onde fica, né??

Como não poderia faltar, tem o Ganges…

O sagrado dos indianos

O sagrado dos indianos

Sagrado, mas com problemas

Sagrado, mas com problemas

No meio do caminho, enquanto se conhece sobre os principais rios do mundo, há um gigantesco aquário. Nele, é possível não somente ver a alimentação de diversos animais aquáticos, dentre eles peixe-boi, raias, dentre outras espécies de animais marinhos. Há uns peixes muito grandes, uma oportunidade e tanto principalmente para as crianças.

Aqui, dá pra ver o esqueminha do River Safari. Nem parece, mas é muito grande e vale muito a visita.

Mapinha para localização no River Safari

Mapinha para localização no River Safari

Outra coisa bem interessante do River Safari é o casal de Pandas que vive lá. O nome dele é Kai Kai e dela é Jia Jia. Aparece tudo sobre eles, parece até um reality show sobre os dois. Embora eles não fiquem no mesmo ambiente, que é dividido por uma porta, eles estão sempre próximos e acabam por ser se não a principal, uma das principais atrações do local.

Preguiça

Preguiça

Na saída, há uns enormes jacarés esculpidos para umas fotos divertidas, além de uma grande seção, ainda dentro, claro, sobre o Rio Amazonas e toda a vida abundante que está na região amazônica. Dois leões-marinhos, Carlos e Carmen, também podem ser vistos com maiores informações sobre eles mais para o fim do passeio. Se estiver com ou sem crianças, vá lá! Vale muito a pena conhecer esse lugarzinho encantador.

Wild, uh??!!

Wild, uh??!!

Essa foi a visita ao River Safari que, definitivamente, possui um preço justo de entrada se compararmos com as atrações que existem dentro dele. Claro que há mais coisa para ser ver em Cingapura, mas isso fica para outro post.

Espalhe!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado. Campos com * são obrigatórios

*