Capa » Uncategorized » Oahu: uma mistura perfeita de simplicidade e modernidade

Oahu: uma mistura perfeita de simplicidade e modernidade

Se dá para dizer que existe um lugar que seja próximo do que chamamos (ou buscamos) de perfeito, este lugar é a ilha de Oahu, não a maior, mas a principal do Havaí. Chegando via aeroporto (como a maioria esmagadora dos turistas o fazem), você está a 10km da badaladíssima praia de Waikiki, local irado e desejadíssimo por 13 em cada 10 surfistas no mundo todo!

Caminhando pelas ruas da região de Waikiki, você se imagina em um grande centro de cidade moderna, com todas as lojas mundialmente conhecidas, de marcas famosíssimas, tudo bem facilitado e acessível. Andando mais alguns metros, bem no meio deste centro da cidade, na frente da rua principal, você olha de relance e vê uma praia! Nossa, olha essa praia! Sim, é Waikiki! Bem no centro da cidade.

Já se imaginou caminhando pela Avenida Paulista quando, de repente, você passa por baixo do vão do MASP e do outro lado vê uma praia lindíssima? É uma sensação bem parecida caminhar pelo centrinho de Waikiki.

Não é só isso: saindo do centro, ainda possível caminhando, você pode iniciar a caminhada rumo ao topo do Diamond Head, um vulcão extinto encravado bem ao lado de Waikiki. A caminhada é de graça e para entrar no parque, paga-se US$1 para o pedestre e US$5 por carro, não importando quantos estejam dentro.

A subida é bem pesada, ainda mais quando não se possui 100% da estrutura física. Mas o visual compensa, embora não tenhamos conseguido alcançar o topo. Acreditamos nos testemunhos que vimos na internet… rsrsrs

Só que a ilha de Oahu é muito mais do que Waikiki e Diamond Head. Você tem uma infinidade de lugares e coisas para ver e para conhecer. É necessário ir por partes. Vamos começar, então, pelo que está mais perto. Na praia de Waikiki, além de um shopping center cheio de marcas internacionais que são caríssimas no Brasil, há para os menos abonados as lojas ABC (ABC Stores). Comparando com supermercados como Walmart, ainda são caros, mas já possuem o preço mais em conta do que se você for a lojas de souvenir ou coisas do gênero. É uma boa dica!

Saindo do circuito do que se pode fazer a pé estando hospedado em Waikiki, o que você não deve deixar de visitar é Pearl Harbor (1 Arizona Memorial Pl, Honolulu, HI 96818). Se estiver de carro, é bem pertinho, 15 minutos dirigindo. Mas se não estiver, sem problemas, pois há vários passeios que saem de Waikiki para lá por US$10. A entrada no local é totalmente free (coisa rara nos EUA) e lá você pode conhecer um pouco da história, além de conhecer o Arizona Memorial. Vá no período da manhã. Se for possível, inicie o dia por lá, pois devido aos cortes de orçamento do governo americano (sim!!! Isso acontece também por lá), só há visitação no período matutino.

Saindo de Pearl Harbor, é uma boa alternativa seguir para Haleiwa. Sem trânsito e direto, você demorará cerca de 1 hora. Nesse caminho, você corta Oahu exatamente no meio. No caminho, uma boa pedida é parar no Maui Mike’s (96 Kamehameha Highway, Wahiawa, HI 96786), um lugarzinho muito legal e que é frequentado por muitos militares americanos. Mas pode ficar tranquilo que o ambiente é de bastante tranquilidade, além do frango ser muito saboroso e bem baratinho. Em frente a esta loja, há um Mc Donald’s, um Walgreen’s e outras lojas menores. Definitivamente, vale a pena parar, pois é hora de rango e a parada é boa.

De pança cheia, siga mais um bocado até chegar em Dole Plantation (64-1550 Kamehameha Highway, Wahiawa, HI 96786). Dá para conhecer uma plantação de abacaxi ao vivo, se você quiser. Tem um sorvete de abacaxi muito gostoso que eles vendem lá por US$6. A visita pode ser feita a pé ou ainda você pode pegar um trenzinho (sim, os caras fizeram um lá, com estação e tudo). Estas opções são pagas. Ou você pode ficar apenas caminhando pela estrutura toda e não pagar nada. Foi isso que fizemos e preferimos gastar o dinheiro comprando sorvete que, definitivamente, vale a pena.

Seguindo de volta na Kamehameha Hwy (esta rodovia passa por todas as praias desta parte da ilha), você chegará em alguns minutos em Haleiwa, que é uma cidadezinha bem pequenininha, com algumas lojas de surf e poderá ir a Turtle Beach (todas as praias estarão a sua esquerda). Não há placas indicando essa praia. Paramos ali e vimos um pessoal com os cachorros na praia, apenas deixando o tempo passar. Passamos, mas não paramos, por Waimea, que é a praia que vem imediatamente antes de Pipeline (Ehukai Beach Park, Haleiwa, HI 96712), a meca do surf mundial. Sempre vai ter uma cacetada de surfistas no mar (muitos mesmo, uns 150 no mínimo) esperando a onda perfeita, alguns tendo instrução. Ainda fica uma galera na parte da areia, pois a praia não é muito para banhistas não. O estacionamento não é muito grande, mas sempre tem uma ou outra vaguinha para estacionar. Foi lá que o Gabriel Medina ganhou o título mundial de surf no final de 2014 e fica uma zumbizada lá, só urubuservando o povo pegar onda ou, simplesmente, ficar lá na água tirando onda literalmente… Se bater aquela saudade do Brasil pelo surf que está ali pulsando feito doido, do outro lado da rodovia, há um trailer de um brasileiro. Resultado: tem coxinha (isso!!! Coxinha!!), guaraná e até açaí na tigela. Claro que a preços não módicos, mas você pode matar a sua vontade. Não cheguei a comprar nada lá, afinal de contas, só estávamos fora do Brasil fazia 15 dias, então a saudade não estava tão desgraçada assim para se pagar em dólar por uma coxinha.

Seguimos Kamehameha acima e chegamos a Sunset Beach (59-104 Kamehameha Highway, Haleiwa HI 96712). Nessa sim, paramos, fincamos bandeira e ficamos um tempinho na água só morcegando. Como piriguete é uma coisa que não tem nacionalidade, havia umas 3 por lá, tirando selfie, mas dos próprios traseiros… chegava a ser engraçado vê-las levantando os saiotes/vestidos e lançando a câmera como se fosse os olhos de um ginecologista. Obscenidades à parte, a praia é muito mansa e possui algumas pedras na água, algumas bem grandes, o que faz com que o cuidado ao se banhar seja bem maior. De qualquer forma, vale o banho, pois a areia é muito limpinha, assim como a água também.

Saindo de Sunset Beach, fomos até a região de Kahuku, onde fica a produção de camarão da região. Na beira da estrada, também do lado esquerdo, há uma série de trailers. Nós paramos no mais histórico deles, do primeiro cara que começou a vender camarão por ali. É o do Giovanni, o Giovanni’s Shrimp (56-505 Kamehameha Hwy, Kahuku, HI 96731). Tem o prato clássico de camarão com arroz, que é delicioso e sai por US$13 com a bebida por US$1. Preços humanizados e comida excelente (e de verdade).

De Kahuku, seguimos para Waikiki, pois o dia já estava no fim e as pilhas também. No caminho, há o Centro de Cultura Polinésia (55-370 Kamehameha Hwy, Laie, HI 96762), que merece uma visita de um dia inteiro. Há diversos pacotes, mas a coisa é um espetáculo à parte. Os show são lindíssimo e, se você quiser, pode gastar um dia inteiro só para ficar lá junto com os polinésios, povo que originalmente habitava o Havaí antes dos ianques. Um show interessante estava em torno de US$60, mas durava o dia inteiro… Você pode ficar perambulando por lá, vendo bugigangas ou simplesmente andando e conversando com o pessoal, pois eles gostam muito de falar. :-) De lá, foi voltar para casa (hotel), pois o dia tinha sido bem cheinho.

Esta, inclusive, pode ser a sugestão para um dia inteiro de Oahu: Começar por Pearl Harbor e terminar no Centro de Cultura Polinésia. Em outro dia, você pode começar por Diamond Head pela manhã e, depois do almoço, descansar na praia de Waikiki até cansar novamente… 😉

Para um outro dia, vale a pena conhecer todo o lado leste de Oahu, começando por Hanauma Bay (100 Hanauma Bay Rd, Honolulu, HI 96825). O snorkel lá vale a pena, pois há um aquário natural lá. No entanto, como a entrada estava US$7.50 por pessoa, preferimos seguir direto para Sandy Beach (8800 Kalanianaole Highway, Oahu, HI 96825). Esta praia tem ondas mais fortes, ideais para surfar ou pegar jacaré. Se está com crianças, esqueça! Possui ondas muito fortes e buracos que a fazem não dar pé de uma hora para outra. Sem contar com as pedras que ficam no chão e podem machucar. Portanto, se não for surfista ou da vai dos bro’s, dê uma passada apenas. Em Sandy Beach e em Kailua (526 Kawailoa Rd, Kailua, HI 96734), que é a próxima praia, o vento é bastante forte. No entanto, como o dia estava apertado pelo horário, ficamos pela Sandy Beach mesmo e voltamos para Waikiki. Kailua possui o mar mais tranquilinho e Lanikai Beach (Mokulua Drive, Kailua HI 96734) é constantemente considerada uma das praias mais bonitas do Havaí, só que não temos fotos dela. :-( Só que isso não deixa de ser uma razão para voltar, né? :-)

Se você é daqueles aficionados por surf, vá ao Havaí por novembro ou dezembro, que é a época em que ocorre a Triple Crown of Surfing (Tríplice Coroa do Surf), que o nosso Gabriel Medina fez o favor de botar no bolso no fim de 2014. Detonou!! :-)

Dizem os locais que, se você puser um colar havaianode flores, aquele que tem na música do É o Tchan,! chamado de lei na estátua do Duke Kahanamoku, um cara fodão tipo Deus para eles, você um dia volta para lá. Mas isso é uma lenda, ok? Se você esquecer de por o colar, tente a segunda opção: trabalhar. Com certeza, suas chances de voltar serão iguais ou até maiores!! 😉

Isso é só Oahu e nós fomos para Maui também, outra ilha super fodástica e com uma vibe completamente diferente no Havaí, mas isso é coisa para outro post. Se gostou, comenta aí… se não gostou, comenta também. O objetivo é agradar, mas nem sempre ele é alcançado. Um abraço a todos e Aloha!!

Espalhe!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado. Campos com * são obrigatórios

*